Apresentamos algumas técnicas de montagens experimentais, onde podemos facilmente colocar nossas experiências eletrônicas em funcionamento, sem muito custo, ainda poder reaproveitar os componentes utilizados e utilizar componentes reciclados de sucatas.

Os tipos de montagens utilizados são: Montagens em placas de fenolite confeccionas em casa, montagens de circuitos utilizando placas universais, montagens em pontes de terminais, montagens em superficie (smd) utilizando componentes eletrônicos convencionais e montagens de circuitos experimentais utilizando base metálica e ílhas feitas com placas de fenolite, ( processo apresentado pelo meu amigo Egon).

Montagens de circuito utilizando placa de fenolite:

Ténicas de montagens de circuitos eletrônicos

montagem-placa-fenolite

Esta técnica de montagem trata-se em desenhar o circuito em uma placa de fenolite virgem, obtendo seu circuito após um processo de corrosão com produtos químicos, a montagem do circuito se realizará inserindo os componentes nos furos e soldando os componentes no lado do circuito impresso na placa. Está técnica é utilizada no processo final de desenvolvimento do projeto, pois se surgirem modificações no projeto teremos que redesenhar uma nova placa (circuito impresso) e realizar novamente a montagem. Os terminais dos componentes são cortados rente a solda de modo que seu reaproveitamento em outros circuitos fica restrito praticamente a montagens deste tipo.

Montagens de circuitos em placas de fenolite universais:

Placa de fenolite universal

Placa de fenolite universal-solda

Placas de fenolites universais são facilmente encontradas em lojas de componentes eletrônicos, são placas prontas, especialmente desenhadas para aceitarem a maioria dos componentes eletrônicos convencionais.

O modelo apresentado possui ilhas individuais que após soldado os componentes podemos interligar estas ilhas formando o circuito impresso necessário ao funcionamento do projeto.Estas placas podem ser cortadas para utilização em pequenos circuitos eletrônicos, para isso basta desenhar o projeto em um papel milimetrado e depois ir realizando a montagem conforme o desenho.Com este tipo de placa podemos modificar o projeto de acordo com o desenvolvimento, pois a qualquer momento podemos redesenhar o circuito com novas trilhas. Com este tipo de placa podemos realizar montagens de circuitos utilizados em eletrônica digital, fontes, temporizadores, buzzer, alarmes, módulos de controle, robótica, luz rítmica, pisca-pisca, sonorização e muito mais.

Montagens em pontes de terminais:

Ponte de terminais

Montagem de circuitos em ponte de terminais

As ponte de terminais são componentes utilizados para montagens experimentais diversas, eram utilizadas nas montagens de circuitos eletrônicos em televisores e rádios antigos que funcionavam ainda com válvulas. Hoje são raramente utilizadas, a técnica consiste em fixar a ponte de terminais em uma base isolante (madeira ou plástico) e inserir os terminais dos componentes eletrônicos em suas ilhas metálicas soldando-os em seguida.

Pode ser utilizada em montagens simples como fontes, circuitos indicadores, suporte para conexões de fios e outros.Para facilitar a montagem de circuitos eletrônicos com ponte de terminais podemos utilizar duas ou mais pontes fixadas em paralelo, assim a distribuição dos componentes e a necessidade de modificação do projeto torna-se mais fácil.

Montagem em superfície (SMD) utilizando componentes convencionais:

Transmissor FM – Tamanho: 2.5cm X 2cm

Alcance : 50 metros com pilha botão de 3Volts.

Montagem smd em placa de fenolite

Esta técnica consiste em desenhar as trilhas do circuito no mesmo lado onde serão soldados os componentes eletrônicos.Para realizar esta montagem, cortamos os terminais dos componentes o mais curto possível.

Os resistores serão soldados através do próprio corpo, para isso cortamos os terminais rente ao corpo e passamos uma lima fina, retirando completamente o terminal, deixando somente o corpo do componente para soldagem na placa.

Com esta técnica podemos realizar montagens de circuitos miniaturizados com componentes convencionais. Pode ser utilizado em circuitos de rádio frequência como transmissores e receptores de controle remoto, transmissores espião em FM, VHF ou UHF. Este método de montagem deverá ser empregado somente em montagens finais, pois seus componentes dificilmente poderão ser reaproveitados em outros processos de montagem.

Montagens de circuitos experimentais utilizando base metálica e ílhas feitas com placas de fenolite:

Montagem  superficie em base metálica

Lista de materiais:

  • Um pedaço de lata fina sem cobertura (encontrada em galão de solvente ou lataria retirada de blindagem de circuitos eletrônicos…
  • Placa de fenolite virgem cortados em quadrinhos de 0.5cm X 0.5cm. (quantidade: 30 quadrinhos)
  • Fita dupla face.
  • Opcional: Verniz protetor de circuito impresso.

Teste de soldagem na base metálica

  1. Limpamos a base metálica (lata) com uma palha de aço (bombril) retirando qualquer sujeira presente, após a limpeza aplicamos uma demão de verniz protetor para circuito impresso. O verniz irá proteger a lata contra a oxidação, ferrugem e auxiliar na soldagem dos componentes.
  2. Realize um teste de soldagem para ver se a solda pega bem na lata, para isso utilize um ferro de solda de 30 watts e solda especial para eletrônica (tradicional solda do rolo azul) se não pegar, aranje outra lata e teste novamente (as lata de alimentos possuem uma cobertura que dificulta a soldagem).
  3. Limpe os quadrinhos de fenolite com bombril e aplique uma demão de verniz para proteger a superficie de cobre contra oxidação.
  4. Feito isso, começaremos a montagem de nosso circuito experimental.

Montagem circuito na base metálica

A técnica consiste em ir colando com fita dupla face os quadrinhos (ílhas) de fenolite pela base metálica (lata) e fazendo a distribuição e a interligação dos componentes no circuito de acordo com o projeto em desenvolvimento.

Com esta técnica temos a facilidade de alterar o circuito experimental, para isso basta ir colando ou removendo os quadrinhos de acordo com as alterações no circuito.

Neste tipo de montagem podemos utilizar componentes convencionais reciclados de sucatas e aproveita-los em nossas experiências eletrônicas mesmo tendo os terminais curtos.Para este tipo de montagem, o terminal negativo do circuito (terra) é assumido pela base metálica, isto é, tudo o que está ligado ao negativo da fonte (-) será soldado a base metálica, podemos ver na foto ao lado alguns componentes com um dos terminais ligados a base metálica.

De acordo com o Egon, podemos montar circuitos experimentais que operam até em altas frequências devido a ligação curta entre os componentes e a lataria que funciona como um bom aterramento para o circuito.

IMPORTANTE: Cuidado ao colar o quadrinhos de fenolite com cola super bonder, apesar de ser prático a fixação das plaquinhas na superficie metálica, a cola super bonder gera vapor quando soldamos os componentes com o ferro de soldar, este vapor em contato com os olhos causa uma irritação muito forte de ardência. A cola, mesmo depois de seca, em contato com o ferro quente gera fumaça altamente prejudicial aos olhos. Por isso não aconselhamos o seu uso para este fim.

Montagem em base metálica com uso de circuitos integrados:

Montando adaptadores para utilização de circuitos integrados (C.I.).Com esta técnica podemos realizar montagens experimentais com circuitos integrados, basta um pequeno acessório para acondicionar os C.I. ao nosso circuito. Para isso montaremos alguns soquetes para circuitos integrados.Lista de material:

  • Soquetes para circuito integrado de 14 pinos.
  • Placa de fenolite virgem 2.5cm x 2.5cm.
  • Verniz para proteção da placa.

1- Cortamos uma placa de fenolite virgem de 2.5cm x 2.5cm.

Placa fenolite virgem

2- Com uma lâmina de serra metal, removemos o cobre dividindo a região cobreada em duas partes, logo em seguida removemos o cobre criando filetes de cobre de 2mm de largura, deste modo teremos 7 filetes de cobre cada lado, um para cada terminal do soquete para o C.I..

Placa com filetes cobre

3-4- Dobramos os terminais do soquete para assentar sobre os filetes de cobre na placa, tudo centrado, realizamos a limpeza da placa com bombril para retirar as sujeiras e aplicamos uma demão de verniz protetor.

Soquete para circuito Integrado

Soquete centrado

5- Após a secagem (5 minutos) realizamos a soldagem do soquete para C.I. na plaquinha com um ferro de 20Watts e solda especial para eletrônica.

Soquete soldado na placa

6- Nosso circuito integrado esta encaixado no soquete, pronto para ser utilizado no circuito experimental.

Circuito integrado no soquete

7- Agora é só fixar nosso adaptador em local apropriado e interligar com pequenos pedaços de fio fino os pinos do C.I. ao projeto em desenvolvimento.

Circuito integrado na placa fenolite

Podemos construir facilmente outros soquetes para maior quantidade de pinos e realizar montagens de circuitos em base metálica rapidamente.

OBS: Encaixe o C.I. no soquete somente após ligar todos os terminais no circuito para evitar sobre aquecimento do componente durante a soldagem dos terminais na plaquina adaptadora.

Trabalhando com montagem em base metálica, podemos com pequenos retalhos de lata e alguns pontos de solda montar uma pequena caixa metálica para o circuito, com isso temos uma blindagem total do circuito, tornando-o imune a interferências externas.

Por se tratar de um método de montagem muito prático e rápido, em breve realizaremos algumas montagens utilizando esta técnica. Analizaremos seus resultados, que de acordo com nosso amigo Egon, foram realizados muitas montagens em transmissores de VHF (alta frequência) com sucesso…